Colégio de Umbanda


O Colégio de Umbanda Pai Benedito de Aruanda foi fundado em 13 de Maio de 1999. Tendo como seu dirigente espiritual o Sacerdote Pai Rubens Saraceni e sua esposa Mãe Alzira Saraceni.

TEXTO SOBRE O COLÉGIO, POR RUBENS SARACENI:

 

Houve um tempo em que eu era um aglutina­dor único de pessoas e poderia ter procedi­do da forma concentradora ou expansora. Após ouvir muitas orientações dos meus Guias espirituais optei pelo procedimento expansor.

Explico-me!

Muitas pessoas vinham estudar a Umbanda e a Magia comigo e, como os grupos de estudos eram formados, cada um com centenas de pessoas, entre elas haviam muitas que, após es­tarem preparadas poderiam desenvolver gran­des trabalhos dentro da Umbanda.

Havia um selecionamento natural e sem ne­nhuma interferência minha onde os mais aptos iam sobressaindo-se e exteriorizando seus dons, suas locações e seus talentos.

Aos poucos cada um ia dando início às suas missões e compromissos para com suas forças es­pirituais e os seus Orixás, e eu apoiava suas iniciativas torcendo para que prosperassem.

Pude ver pessoas crescerem de forma única dentro da Umbanda e realizarem grandes tra­balhos tanto no campo do ensino religioso como no auxílio a expansão da Umbanda, le­vando-a para pessoas que dificil­mente eu alcan­çaria sozinho.

O Colégio de Umbanda Sagrada, co­mo é conhecido carinhosamente o núcleo central de um movimento livre de revolu­ção e expansão da Um­banda ainda é um referencial para alguns desses talentosos umbandis­tas altamente capacitados para o que se propuseram.

Não citarei nomes aqui, pois são muitos e não caberiam nesse espaço, apenas ressalto o meu acerto em confiar na capacidade e nas boas intenções de pessoas mara­vilho­sas que Deus e os Orixás confiaram-me por um instante de suas vidas; ins­tante esse que foi suficiente para acen­der no íntimo de­las a luminosíssima chama da confiança em si mesmos e de infinitas possibilidades.

O que eu quero que entendam é que se eu ti­vesse optado pela forma concentradora, em teria me transformado em uma árvore frondosa onde mui­­tos se abrigariam, daria frutos e quando mor­resse todos ficariam ao relento e possivel­mente só um ou outro vingaria individualmente, co­mo tem acontecido tanto na Umbanda quanto em qualquer outra religião.

Como optei pela forma expansora, optando por contribuir para sua formação e estimulando seu crescimento pessoal, hoje me sinto como uma árvore, ainda muito frondosa e frutífera, cercada de muitas outras árvores também frondosas e frutíferas e que estão criando vicejantes bosques ao seu redor e, assim, todos nós estamos for­man­do uma floresta que vem servindo a muitas pes­soas necessitadas e constituindo-se em uma gran­de força expansora da Umbanda, com cada um for­mando novos umbandistas e auxiliando-os a crescerem frondosos.

Poderia citar os nomes de outros dirigentes espirituais umbandistas que me concederam um instante de suas vidas para que juntos aprendês­semos no Colégio de Umbanda Sagrada.

Mas não há espaço suficiente aqui nesta pá­gina e não sei se gostariam de ser citados nesse contexto; pois assim como há os que sentem orgulho de terem estudado nessa escola ímpar dentro da Umbanda, há os que depois de terem adquirido nela tudo o que precisavam para iniciar suas missões e cumprirem seus compromissos espirituais, do Colégio se afastaram porque dele já não precisam mais.

A todos eu peço a Deus que abençoe e quero que saibam que sou grato a Deus, aos vossos Orixás e aos vossos Guias Espirituais por terem me concedido a honra e a satisfação de ter con­vivido com vocês por um instante muito lumi­no­so de nossas vidas.